Instalações Hidráulicas - Predial e Residencial

Coluna de Água Limpa
Leva ao apartamento a água proveniente da caixa d’água.

Geralmente são instaladas em ferro galvanizado, e são substituídas por tubos de cobre.

Coluna de Águas Servidas
É a coluna que recebe toda a água utilizada no apartamento, como esgoto, tanque e banheiros.

Nos prédios mais antigos , são confeccionadas em ferro fundido e nos atuais em tubos de p.v.c. . Quando necessário, serão substituídas em tubos de p.v.c.

Coluna de Águas Pluviais
Coluna que recebe toda as águas provenientes de chuvas.

Como a coluna de águas servidas, nos prédios mais antigos , são confeccionadas em ferro fundido e nos atuais em tubos de p.v.c. . Quando necessário, serão substituídas em tubos de p.v.c.

Barriletes
Centrais de distribuição de água, que estão localizadas logo abaixo das caixas d’água superiores, e que possuem a função de distribuir água limpa pelas tubulações.
Geralmente são instaladas em ferro galvanizado, e são substituídas por tubos de cobre.

Válvulas Redutoras de Pressão
Têm como finalidade diminuir a pressão da água dentro da tubulação, tornando mais fácil o manuseio de torneiras, chuveiros, máquinas de lavar, filtros em geral encontrados dentro dos apartamentos.

POR QUE É NECESSÁRIO A TROCA ?
Na tubulação de ferro galvanizado com o passar dos anos se formam as incrustações, ambiente ideal para proliferação de bactérias e microorganismos.

Em exames de laboratório encontramos uma quantidade absurda de ferro, na água que passa pela tubulação com corrosão interna.

Os vazamentos aparecem quando a gente menos espera, mas os sinais de sua proximidade são visíveis na água amarelada e partículas ferruginosas.

A tubulação com corrosão interna, causa também entupimentos e baixa pressão nas torneiras e chuveiros.

• O tubo de cobre, se bem instalado, possui durabilidade maior que vida útil do imóvel.

A instalação de água fria começa na rede pública ou, no caso de locais afastados, no poço onde se coleta a água. Para efeito deste nosso estudo, vamos supor que a residência está ligada à rede pública, que corre pela calçada ou até mesmo pelo meio da rua.

Acompanhe pela figura abaixo. Quando se faz o pedido de ligação de água a concessionária faz uma sangria na tubulação que chega até um registro localizado junto ao alinhamento do lote.

Este registro pertence à concessionária, que o usa para interromper o fornecimento caso o usuário não pague a conta.

Do registro de entrada da concessionária parte uma ligação que chega até o hidrômetro, que faz parte de um conjunto chamado popularmente de “cavalete”. O cavalete é constituído pelo medidor de consumo — também pertencente à concessionária — e o registro geral da água fria, este já pertencente ao usuário. Pelas normas das concessionárias, o cavalete pode ficar até 1,50 m afastado da frente do lote, mas é conveniente colocá-lo bem na testada, voltado para fora, possibilitando a leitura do consumo sem que o funcionário da concessionária precise adentrar o imóvel.

Do cavalete de entrada sai uma ramificação que sobe até o reservatório superior, a famosa “caixa d’água”. No final desta alimentação, dentro da caixa d’água, está a torneira de bóia, encarregada de manter o nível da água lá armazenada. Da mesma saída do cavalete, também se costuma levar uma tubulação que alimenta a cozinha (torneira e filtro) e também a área de serviço, locais que precisam de mais pressão e/ou de água mais límpida. Este ramal extra costuma ser usado também para alimentar as torneiras de jardim, pois a maior pressão disponível facilita o uso de mangueiras para lavagem e irrigação.

Ligações da caixa d’água

Além da tubulação de alimentação, que termina na torneira de bóia, existem na caixa d’água mais três tipos de ligação: ladrão, lavagem e barriletes. Acompanhe pela figura abaixo:

O ladrão fica localizado na parte superior da caixa d’água, próximo à borda. Sua função é evitar que água transborde, caso a torneira de bóia falhar. Justamente para isto, o diâmetro do ladrão tem que ser maior do que a tubulação de entrada. Em geral, nas residências se usa tubo de 25 mm na alimentação e de 32 mm no ladrão e na tubulação de lavagem. Esta última fica exatamente no fundo, bem rente à borda, e sua função é esvaziar totalmente a caixa para limpeza ou manutenção. Para tanto a tubulação de lavagem tem um registro, para ser aberto única e exclusivamente nesta ocasião.

Chegamos então aos barriletes. Este é o nome que se dá para as saídas onde serão conectadas as tubulações de distribuição da água fria pelo imóvel. Mas qual é a diferença entre um barrilete e a saída para lavagem? O barrilete coleta a água pelo menos 10 cm acima do fundo da caixa, para evitar que se use água contaminada pelos depósitos que vão sedimentando no fundo da caixa. A saída para lavagem coleta a água o mais próximo possível ao fundo, justamente para retirar as partículas sedimentadas.

Ramais de distribuição

Como vimos, os barriletes são o ponto de ligação entre os ramais de distribuição e a caixa d’água. Os ramais de distribuição, por sua vez, levam a água fria através do imóvel conduzindo-a até os pontos de consumo, constituídos pelos chuveiros e torneiras. Em pequenas obras, costuma-se sair com um tubo de 50 mm (1 1/2”) para alimentar o banheiro (com válvula de descarga) e outra de 25 ou 32 mm para alimentar cozinha, área de serviço e banheiros com bacia de caixa acoplada. Em obras maiores, com mais cômodos, é conveniente fazer uma saída para cada banheiro, outra para a cozinha e outra para a área de serviço. Com isto, um ambiente não interfere no funcionamento do outro, pois ficam totalmente independentes.

Caso o banheiro utilize caixa acoplada ao invés de válvula de descarga, pode ser alimentado com um único tubo de 25 ou 32 mm, que servirá também para o chuveiro e pia. Se o projeto estiver prevendo aproveitamento de água de chuva, de cisterna ou de reuso, deverá haver uma caixa d’água e uma tubulação especificamente para o vaso sanitário, pois não se deve utilizar água reciclada no chuveiro, nas pias, na cozinha e na área de serviço.

As medidas de tubo que indicamos acima são genéricas, mas são também as mais usadas, tanto que acabaram virando padrão para os dispositivos encontrados no comércio. Atendem realmente à maioria dos casos de pequenas obras, mas se você tiver um projeto diferente, como um comércio ou indústria, ou até mesmo uma residência um pouco mais sofisticada precisará dimensionar a tubulação, conforme veremos adiante.